SRE a marcar gerações  – outubro de 2012

Direção Regional de Educação e Juventude
A marca de… João Santos

A ENTREVISTA

[citações]

«Estamos situados num espaço físico fantástico, num edifício histórico do Funchal que foi recuperado de forma magnífica.»

«Com o tempo a decorrer, sente-se cada vez mais que existe uma maior integração dos vários setores que integram a Direção Regional de Juventude e Desporto.»

«(…) A importância que o Gabinete do Ensino Superior traz a estas duas vertentes [juventude e desporto] acaba por ser complementar no apoio ao estudante e à sua candidatura ao nível universitário, bem como à sua integração a nível nacional.»

«A nossa intervenção [junto dos agentes da comunidade] é uma intervenção mista, ou seja: há sempre necessidade de, em determinados momentos, sermos mais interventivos no processo e, noutros momentos, mais reguladores (…).»

«A nossa função, aqui nesta casa, tem de ser, fundamentalmente, com um objetivo: ser um elemento facilitador a todos os agentes que dela necessitam; sejam associações juvenis, sejam associações desportivas, sejam estudantes do ensino superior (…).»

«(…) Há agentes desportivos que têm um histórico de 30 a 40 anos no associativismo, por isso, beber daquela fonte é, no fundo, ir buscar a história daquilo que têm sido os acontecimentos, ao longo dos anos, no desporto regional. Isso também é transversal em relação às associações juvenis.»

«Temos também, entre mãos, uma nova proposta para a composição do Conselho Regional da Juventude, no sentido de o tornar mais próximo da realidade do que é hoje o associativismo juvenil, com uma abertura diferente daquela que foi dada no passado (…).»

«(…) No apoio à continuidade territorial – no que se refere aos transportes dos desportistas e das associações juvenis que tenham de realizar ações a nível nacional – o Estado continua a não assumir a sua responsabilidade (…).»

[caixa]
«« Entrevista com o diretor regional de Juventude e Desporto, João Santos

João Santos
Faixa 1
– O novo espaço físico e organizacional
– O complemento da juventude e do desporto
– A integração do Gabinete do Ensino Superior
– A intervenção e o apoio da DRJD

Faixa 2
– O contributo dos agentes desportivos
– A intervenção do associativismo desportivo
– O regulamento de apoio ao desporto
– O voluntariado juvenil
– O Conselho Regional da Juventude

Faixa 3
– A visão de futuro da DRJD
– O cartão jovem
– A continuidade territorial 

A DRJD

A Direção Regional de Juventude e Desporto (DRJD), criada a 26 de junho de 2012, veio assumir a área do desporto e da juventude, integrando, ainda, o Gabinete do Ensino Superior. Sediada no antigo edifício do Ateneu Comercial do Funchal, a SEDJ ocupa um renovado espaço físico e inaugura um renovado espaço de atuação institucional.

[caixas]
Missão
«A DRJD tem por missão apoiar a definição, coordenação e concretização da política pública governamental nas áreas da juventude, do desporto e do ensino superior, promovendo a participação dos jovens em todos os domínios da vida social e o fomento da prática desportiva na Região Autónoma da Madeira (RAM).»
 
Apoios ao desporto
Com ampla participação dos agentes desportivos e da sociedade na sua produção, o regulamento de apoio ao desporto na Região Autónoma da Madeira foi publicado em JORAM durante o passado mês de setembro e enquadra, doravante, os mecanismos de apoio financeiro na área desportiva. Este diploma legal tem, por escopo, quatro vertentes do desporto, como sejam o futebol profissional, as modalidades de relevo, as categorias de formação e outros. Consulte o texto final.
Em relação à presente época desportiva, será publicado, a muito breve trecho, o Plano Regional de Apoio ao Desporto (PRAD), de vigência anual.

Pousadas de Juventude
As pousadas de juventude da Região Autónoma da Madeira apresentam uma oferta de alojamento de qualidade a preços módicos. Conheça aqui as suas características (ficheiro PDF).
Pode acompanhar as novidades e saber mais informações em www.facebook.com/pousadasjuvmadeira.

Ponto Jovem
Este é um espaço público destinado aos jovens, onde é disponibilizado suporte documental sobre questões da juventude e do desporto, bem como acesso facilitado às novas tecnologias de informação.
As características do espaço e as atividades disponíveis podem ser consultadas aqui (ficheiro PDF).

Pode encontrar informações institucionais sobre a DRJD em www.madeira-edu.pt/drjd e acompanhar o dia a dia do desporto e da juventude na RAM em www.facebook.com/juventudeedesporto.madeira. O Gabinete do Ensino Superior está disponível em www.madeira-edu.pt/ges.
 

O ESPAÇO

[imagens da sede da Direção Regional de Juventude e Desporto]

----------------------------------------

Unidades de Ensino
Estruturado e Especializado

UNIDADES

Unidades de Ensino Estruturado na RAM

Alunos com perturbações do espetro do autismo (PEA)

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar da Ladeira
Escola Básica e Secundária Dr. Ângelo Augusto da Silva (nova)

[caixa]
O que são?

Espaços criados nas escolas de ensino regular que constituem um valioso recurso pedagógico para as mesmas.

Com base no ensino estruturado procuram tornar o ambiente em que o aluno se insere mais previsível e acessível, ajudando-o a encontrar maior disponibilidade para a comunicação, interação e aprendizagens. Esta resposta educativa específica visa melhorar a qualidade de vida das crianças/jovens com PEA, aumentando o seu nível de autonomia e de participação na escola, junto dos seus pares, fomentando a sua inclusão na sociedade.
 
[caixa]
O modelo TEACCH
 
O ensino estruturado consiste num dos aspetos pedagógicos mais importantes do modelo TEACCH. A filosofia deste modelo tem como objetivo principal ajudar a criança com PEA a crescer e a melhorar os seus desempenhos e capacidades adaptativas de modo a atingir o máximo de autonomia ao longo da vida. Com o foco no ensino de capacidades de comunicação, organização e prazer na partilha social e centrando-se nas áreas fortes frequentemente encontradas nas pessoas com PEA – processamento visual, memorização de rotinas funcionais e interesses especiais – este modelo de intervenção pode ser adaptado a necessidades individuais e a diferentes níveis de funcionamento.

O ensino estruturado traduz-se num conjunto de princípios e estratégias que, com base na estruturação externa do espaço, tempo, materiais e atividades, promovem uma organização interna que permite facilitar os processos de aprendizagem e de autonomia das pessoas com PEA, diminuindo a ocorrência de problemas de comportamento.
 

Unidades de Ensino Especializado na RAM

Alunos com problemas graves de cognição, multideficiência, associados a limitações sensoriais ou motoras, ou de surdo cegueira congénita.

Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de Boaventura
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar da Ribeira Brava
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de Machico
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar da Achada
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar do Garachico
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar de Câmara de Lobos
Escola Básica do 1.º Ciclo com Pré-escolar do Lombo Segundo, São Roque (nova)

[caixa]
O que são?

Espaços criados nas escolas de ensino regular com o fim de darem respostas específicas diferenciadas aos alunos com limitações acentuadas.

Para apoiar a adequação do processo de ensino e de aprendizagem e sem prejuízo da sua participação nas atividades curriculares e de enriquecimento curricular da turma a que pertencem, estas unidades devem proporcionar a estes alunos experiências de aprendizagem significativas que:
– sejam similares aos dos seus colegas sem necessidades educativas especiais;
– respondam às necessidades de aprendizagem de cada aluno;
– sejam realizadas nos contextos naturais, incluindo o contexto da sala de aula/atividades.

[caixa]
O contexto

Para Jackson (2005), na educação destes alunos é necessário encontrar um meio o menos restritivo possível e, simultaneamente, o mais adequado para responder às suas necessidades específicas, ou seja, o meio que ofereça mais condições humanas e materiais para proporcionar uma educação de qualidade que ajude o aluno a ter sucesso social e escolar.

As pessoas com deficiência não têm necessidades qualitativamente diferentes das que não têm deficiência. A diferença revela-se no facto de as pessoas com deficiência não terem capacidade para, de uma forma independente, criarem condições, situações e experiências nas suas vidas que permitam responder a algumas ou a todas as suas necessidades básicas.


IMAGENS

[Imagens das unidades de ensino estruturado e especializado]
 

SAIBA MAIS

Para saber mais sobre este tema, pode escutar as palavras de Líria Jardim e Manuela Monteiro, responsáveis da Direção Regional de Educação nesta área, ao Educando.

[caixa]
« Entrevista com Líria Jardim e Manuela Monteiro, responsáveis da Direção Regional de Educação

Faixa 1
– As salas de ensino estruturado
– As perturbações do espetro do autismo
– A metodologia TEACCH

Faixa 2
– As escolas com ensino estruturado
– As unidades de ensino especializado
– A autonomia das crianças

Faixa 3
– A integração na comunidade educativa
– As escolas com ensino especializado
– Os percursos da inclusão

----------------------------------------

A SRE convida…
“Cordofonias”

Ganhe o CDROM+áudio “Cordofonias”!

Com o intuito de defender e promover os instrumentos típicos da cultura musical regional, foi publicado “Cordofonias – Repertório para Grupos Escolares 1”, em edição coordenada pelos professores Rodolfo Cró e Roberto Moritz da Direção Regional de Educação (DRE). O projeto visa aumentar o número de composições à disposição dos grupos musicais escolares que utilizem instrumentos tradicionais madeirenses. Esta obra teve a colaboração de vários autores nos arranjos musicais, como sejam João Caldeira, Joel Dimitri, José Camacho, Ricardo Correia, Roberto Moritz, Rodolfo Cró e Teresa Leão.

Para conhecer e adquirir diversas edições de interesse, visite a livraria online no espaço da Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia da DRE na Internet.

Responda acertadamente e ganhe o CDROM+áudio “Cordofonias”!

QUESTÃO

Quais são os cordofones tradicionais madeirenses abrangidos por esta obra?

Como participar:
CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO
1. A cada uma das duas primeiras respostas certas recebidas no endereço GIIP@madeira-edu.pt será entregue um CD-Rom+Áudio “Cordofonias”.
2. A mesma pessoa só poderá responder por uma vez.
3. O nome e o telefone de contacto do respondente deverão ser enviados com a resposta.
4. O momento de entrega do CD será registado para divulgação pública.

----------------------------------------

Login