Dezembro 2009

SREC
Em Formação

Formação na SREC
FORMAÇÃO ACTUAL

Focada no desenvolvimento da organização por meio da qualificação dos recursos humanos, a Direcção Regional de Educação (DRE) assumiu responsabilidades de concepção e gestão da formação no quadro da Secretaria Regional de Educação e Cultura (SREC).

[Caixa A1]
Inevitabilidade da formação em contexto de mudança

Num ambiente de permanente mudança e exigência, uma única pessoa, por si só, dificilmente conseguirá todo o conhecimento necessário para o desenvolvimento pleno da sua actividade. Assim, para que uma organização cumpra a sua missão com qualidade, é imprescindível a assunção de um novo papel por dirigentes e trabalhadores – caracterizado por uma atitude permanente de reflexão-acção – que lhes permita lidar com um mundo rápido, complexo e incerto, onde já não há lugar para a incontestabilidade de saberes.

[Caixa A2]
Alguns exemplos de formação na SREC

Gestão e Negociação de Conflitos
A Avaliação das Aprendizagens no Ensino Básico
Dinâmica de Grupo e Trabalho em Equipa
Gestión de Conflictos: Prevención e Intervención a Través de la Meditación Doutoramento)
Higiene e Segurança no Trabalho
Relações Interpessoais
Utilização do “SPSS for Windows”
Seminário "Cultivar sustentabilidade"
Do Projecto Educativo de Escola ao Projecto Curricular de Turma
Primeiros Socorros e Suporte Básico de Vida
Supervisão Pedagógica
Formação de Formadores “as TIC ao serviço da Educação Especial”
Regime jurídico das férias, faltas e licenças
Criação de Websites Escolares
Habilidades y Competencias Profesionales para la Gestión en Organizaciones Públicas y Privadas (Master)

 

Concepção e Gestão da Formação
Oferta Formativa

A oferta formativa visa dar resposta às necessidades de formação previamente apuradas e, por outro lado, introduzir as medidas que se considerarem inovadoras em prol do aperfeiçoamento, da qualidade e da modernização dos Serviços da SREC e dos Estabelecimentos de Educação/Ensino.

[Caixa A3]
Plano de Formação Anual

Face a um vasto universo de recursos humanos, com múltiplas especificidades e uma ampla heterogeneidade funcional, o Plano de Formação Anual procura contemplar um leque alargado e diversificado de actividades formativas (rendibilizando, na medida do possível, recursos internos) e fomentar a partilha de boas práticas, mediante o estabelecimento de redes de interacção. Em termos estruturais, o Plano de Formação da SREC integra dois Planos Sectoriais – um destinado ao Pessoal Docente e o outro ao Pessoal Não Docente – e um Plano Intersectorial que contempla os dois públicos-alvo.

[Caixa A4]
Plano de Formação Complementar

Paralelamente aos referidos Planos, a DRE proporciona um Plano de Formação Complementar que integra as seguintes actividades formativas.

  • Acções de apoio a projectos da DRE/SREC, para qualificar os profissionais intervenientes e contribuir para o êxito das iniciativas;
  • Acções de formação como resposta a necessidades individuais, que sejam de interesse estratégico para o desenvolvimento do Sistema Educativo Regional e para a implementação das medidas resultantes da política da SREC;
  • Acções decorrentes de estudos/investigações, rendibilizando o investimento feito nos docentes que usufruíram de Licença Sabática ou de Equiparação a Bolseiro, contribuindo para a inovação;
  • Pós-graduações (Cursos de Especialização, Mestrados e Doutoramentos), em parceria com Instituições de Ensino Superior, alinhadas com o interesse dos Serviços e Instituições da SREC;
  • Eventos, sobre matérias de interesse para a Região Autónoma da Madeira (RAM) e para a partilha de boas práticas.

[Caixa A5]
Formação da DRAPL

Adicionalmente, a DRE assume a gestão da formação disponibilizada pela Direcção Regional de Administração Pública e Local (DRAPL), concedendo prioridade no acesso a profissionais comprometidos em replicar a formação recebida – com o estatuto de formadores internos eventuais – em especial nos âmbitos de maior interesse estratégico para a SREC. Esta opção de gestão decorre do reduzido número de vagas disponível.

Operacionalização da Formação

Em termos operacionais, a DRE conta com a colaboração de um elemento (ou equipa) de cada estrutura orgânica da SREC, Delegação Escolar e Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico ou do Ensino Secundário, que funciona como elo de ligação no diagnóstico e na sistematização das necessidades de formação, na divulgação das actividades formativas e no acompanhamento posterior.

 

_________________________________________________________________

Formação Contínua em Rede – perspectiva futura
FUTURO EM REDE

Consolidada a estrutura de suporte da operacionalização da formação, perspectiva-se, a curto/médio prazo, a aplicação de um novo modelo de formação para a SREC.

Este novo modelo – Formação Contínua em Rede – preconiza:

[Caixa A6]
o alinhamento entre a formação e o desenvolvimento organizacional…

… consubstanciado na formação em contexto de trabalho, num quadro de aplicação dos princípios da gestão pela qualidade total;

[Caixa A7]
a construção de redes contextualizadas de inovação e de formação…

… mediante actividades formativas, formais ou informais, que promovam a articulação entre Instituições e as interacções inter-pares, proporcionando, deste modo, a partilha de informações, experiências e boas práticas, facilitando, consequentemente, a disseminação de inovações;

[Caixa A8]
a formação de formadores…

… focalizada em áreas que se identificam com as principais necessidades de formação do sistema, com medidas inovadoras ou decorrentes da política da SREC, para “alimentar e rejuvenescer” a rede e, pelo seu efeito replicador, complementar e optimizar os recursos internos de cada organização. Fundamentado nos pressupostos anteriores, este modelo de formação contínua visa diferentes intuitos.

[Caixa A9]
Intuitos do modelo de formação contínua

  • (re)valorizar o conceito de Formação, dando sentido e justificação às actividades formativas que se promovem;
  • descentralizar a concepção e gestão da formação;
  • reforçar a formação em contexto de trabalho; 
  • promover o sentido prático da formação;
  • incentivar a partilha de boas práticas e, consequentemente, estimular a inovação;
  • promover o duplo papel de cada profissional – Formando/Formador (rendibilização de recursos humanos); 
  • aumentar, significativamente, a oferta formativa;
  • evitar redundâncias na oferta formativa; 
  • encarar a formação como um investimento e não como uma despesa; 
  • reduzir custos com a promoção de actividades formativas;
  • contribuir para a auto-sustentabilidade da formação contínua na RAM.

A formação, promovida de acordo com este paradigma, constitui um instrumento de capital importância ao serviço da qualificação e desenvolvimento dos recursos humanos, passando a ser encarada como um investimento, cujo retorno se traduz numa melhoria contínua do desempenho dos profissionais, no sucesso das organizações e, em última instância, na satisfação das necessidades dos cidadãos da RAM.

 

Saiba mais sobre a Formação na SREC

SAIBA MAIS

Conheça a Formação na SREC em 1 147 palavras (em formato PDF) 

Visite a DRE na Internet e consulte o espaço sobre Formação na SREC www.madeira-edu.pt/dre

Para mais pormenores sobre o tema, ouça as declarações dos responsáveis da DRE ao programa ‘Educando’, na Rádio Jornal da Madeira.

DRE – Direcção Regional de Educação

Director Regional, Rui Anacleto Alves

 Subdirector Regional, Manuel André

Faixa 1
– O quadro geral da formação na SREC

Faixa 2
– O contexto actual de formação – O enquadramento da oferta formativa

Faixa 3
– O plano de formação

Faixa 4
– A formação da DRAPL

Faixa 5
– O futuro da formação na SREC

Faixa 6
– Os intuitos do novo modelo

Serviço Educativo “À Descoberta da Música”

ALGUMAS IMAGENS

[Imagens de animações nas escolas]

À DESCOBERTA
Serviço Educativo “À Descoberta da Música”

Promover a descoberta e motivar para a aprendizagem da música são objectivos educativos do projecto “À Descoberta da Música”, iniciado no ano lectivo de 2007/2008. Ao despertar as crianças para a música, pretende-se desencadear o processo de evolução de meros espectadores para executantes e bons ouvintes.

A melhoria da ligação do Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira – Eng. Luiz Peter Clode (CEPAM) à comunidade escolar, bem como à Sociedade em geral, infunde a ideia de um Conservatório acessível a todos.

Almejando envolver toda a rede de Ensino Pré-escolar e de 1.º Ciclo do Ensino Básico da Região Autónoma da Madeira, este projecto procura realizar animações musicais com o número de sessões adequado às necessidades de cada estabelecimento de ensino.

[Caixa B1]
Como se processa uma sessão de animação?

A sessão inicia-se com uma canção, seguindo-se a apresentação – de forma lúdica – dos instrumentos nas suas respectivas famílias: Cordas, Sopros de Madeira e de Metal, Saxofones e, ainda, Instrumentos Tradicionais Madeirenses.

Após esta fase, o grupo de professores especializados destacados realiza uma audição comentada e as crianças fazem uma pequena experimentação dos instrumentos.

O final surge com a projecção de alguns filmes, onde as crianças podem reconhecer os instrumentos apresentados anteriormente.

[Caixa B2]
Como é composta a equipa do projecto?

No projecto, estão envolvidos 18 professores e dois alunos do curso profissional de instrumento (incluídos no quarteto de Saxofones), distribuídos pelos grupos de:

  • Cordas
  • Sopros de Madeira
  • Sopros de Metal
  • Quarteto de saxofones
  • Instrumentos Tradicionais + Violoncelo

[Caixa B3]
Como participar nas animações escolares?

O estabelecimento de ensino pode manifestar o seu interesse em participar no projecto “À Descoberta da Música” contactando o Conservatório. As animações escolares decorrem, às segundas-feiras, no CEPAM (para as crianças que frequentem escolas do Funchal) e nas próprias escolas (para as restantes crianças). Em complemento, o coordenador do projecto vem contactando os estabelecimentos de ensino para dar a conhecer este Serviço Educativo do CEPAM.

[Caixa B4]
Quais são os aspectos mais notórios do projecto?

  • O interesse demonstrado pelas crianças nas animações;
  • A convivência directa das crianças com a música e com os instrumentos, não só pelo contacto físico, mas também pela oportunidade de experimentação;
  • A ligação do CEPAM com a comunidade escolar;
  • O número de crianças e escolas que participaram no projecto;
  • O aumento anual do número de crianças a frequentar a Iniciação Musical Infantil, tanto no Funchal, como nas restantes extensões

 

SAIBA MAIS

Desde o ano lectivo de 2007/2008, até ao momento, foram realizadas 64 animações (em igual número de escolas) repartidas por 128 sessões, envolvendo a participação de 9512 crianças.

Durante o segundo período do presente ano lectivo, o projecto abarcará nove escolas e 1370 crianças, estando previstas, para o último período escolar, dez animações com a participação estimada de 1000 a 1400 crianças.

Para inscrições ou mais informações, visite a página do Serviço Educativo “À Descoberta da Música” no espaço do CEPAM em: http://www.conservatorioescoladasartes.com/index.php?option=com_content&task=view&id=63&Itemid=316

O Serviço Educativo “À Descoberta da Música”, do CEPAM, esteve em foco no programa Educando, na Rádio Jornal da Madeira. Ouça agora aqui:

» Responsável do projecto
Paulo Anselmo

Faixa 1
– A apresentação do projecto
– As sessões de animação

Faixa 2
– A equipa do projecto
– A música e o contexto histórico

Faixa 3
– Os aspectos positivos do projecto

Faixa 4
– As estatísticas e as estimativas

A SREC convida…

Ganhe livros sobre a História do Atlântico

A política editorial do Centro de Estudos de História do Atlântico (CEHA) está directamente ligada à sua actividade científica e conhece, na actualidade, uma dinâmica renovada.

Em consonância, o CEHA apresentou quatro novas colecções editoriais aquando do lançamento de quatro títulos em formato digital.

Conheça melhor estas novidades: – Livraria do CEHA
http://www.madeira-edu.pt/ceha/In%c3%adcio/Livraria/tabid/1277/language/pt-PT/Default.aspx

« Entrevista do Presidente da Direcção, Alberto Vieira, ao programa Educando, no Rádio Jornal da Madeira.

Faixa 1
– O Plano Editorial

Faixa 2
– As Colecções

Faixa 3
– O Anuário

Responda acertadamente e ganhe livros sobre a História do Atlântico.

______________________________________________________________________

QUESTÃO

Qual é o tema geral do Congresso do CEHA que decorrerá em 2010?

(acompanhe a actividade do CEHA em http://www.madeira-edu.pt/ceha)

[imagem]

______________________________________________________________________ 

Como participar:

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO
1. Serão entregues dois exemplares de livros do editorial do CEHA para as quatro primeiras respostas certas recebidas no endereço GIIP@madeira-edu.pt
2. As ofertas estão condicionadas à disponibilidade de exemplares em armazém.
3. A mesma pessoa só poderá responder por uma vez.
4. Junto com a resposta, deverá ser enviado o nome e o telefone de contacto do respondente.
5. Só serão consideradas respostas de quem ainda não haja sido premiado pela rubrica “A SREC convida…”.

Login